Perspectiva

Não creio que eu tenha um modelo para escrever uma postagem deste blog ou uma obra de ficção.

Se tivesse, talvez fosse mais fácil.

Primeiro faço isso, depois aquilo, então aquilo outro, e pronto: tenho sempre o mesmo bom resultado.

No máximo posso dizer que vou juntando pedacinhos de ideias, consciente ou inconscientemente, até ter uma visão, mesmo que só um vislumbre, de algo maior com o qual posso começar a trabalhar em texto.

Como ou de onde essas ideias vêm, isso é o que sempre difere em cada caso, para a minha frustração.

Mas ao mesmo tempo, talvez essa seja a graça e a magia da coisa, de sempre acontecer de um modo diferente toda vez, porque, bem, tudo está em movimento e mudando o tempo todo, ainda que não se perceba, como dizem os budistas.

E como no Ving Tsun, não existem técnicas a serem usadas sempre daquela mesma maneira naquele tipo de situação, pois cada situação é única e a pessoa que você é naquele momento também.

Continuar lendo
Anúncios